sexta-feira, 28 de abril de 2017

Atualização Patrimonial - Abril/17: R$ 241.579,19 (+6,37% ou +R$14.462,01)

Faaaala Galera, beleza?!

Hoje tivemos um dia agitado, hein? O mês de abril foi bastante peculiar, tendo dois feriados nacionais e um dia de greve! Complicado para qualquer negócio... Minha opinião sobre a greve de hoje? Não passam de oportunistas (sindicatos) manipulando a população para conseguir manter a obrigatoriedade da contribuição sindical. Apesar de ser funcionário público, sou totalmente contra greve e baderna. Penso que, se você não está satisfeito onde trabalha, seja qual for ele o motivo, cabe a você procurar algo melhor.

Mudando de assunto, ótimo mês no quesito aporte! Conseguimos guardar todo o valor recebido das férias e adiantamento de parte do 13º, distribuindo da seguinte forma (R$ 1.454,66) na previdência privada e (R$ 11.000,00) em CDB, pois ainda estou formando meu colchão de segurança. Com a queda da SELIC, investir em Renda Fixa tem se mostrado cada vez pior, mas basta olhar minhas escolhas em ações que está explicado porque continuo desta forma. Estou sempre aberto às sugestões! Outra ótima notícia, somando o valor do apartamento (descontando o saldo devedor do banco) e o valor do veículo, ultrapassamos a barreira de R$500.000.00 de patrimônio!!



Vamos aos números:

Cotas Geral:

R$ 241.579,19 no total! Crescimento de R$ 14.462,01, sendo R$ 12.454,66 provenientes de aporte e R$ 2.007,35 de renda passiva. Esse mês foi péssimo no que se refere à renda passiva. Juntou a queda da SELIC com a queda das ações e FII´s, além da Previdência Privada ter rendido uma mixaria. Espero chegar aos R$ 250.000,00 no próximo mês!

Cotas FII:

Recebimento de R$ 41,77 de alugueis, o que representa, aproximadamente, os mesmos +0,75% a.m. do mês anterior. Seguiu a tendência do mês anterior e fechou desvalorizado em -0,11%a.m.. Paciência.

Cotas Ações:

Mais um mês de forte queda da minha “carteira”, -3,73%a.m., está difícil conseguir me livrar dessas ações, já são mais de 6 meses aguardando uma oportunidade de fechar, pelo menos, no zero a zero... Continuam desvalorizadas da seguinte forma: ETER3(-25,29%), LEVE3(-16,02%) e TIET11(-20,21%). Percebi que não estava levando em consideração os valores recebidos a título de rendimentos, mas passei a somar a partir desse mês.

Cotas CDB:

Cotas Tesouro Direto:

Cotas LCI/LCA:

Cotas outros:

“Dividendos” recebidos de R$500,00.

Cotas Dólar:

Cotas Previdência Privada:

Mês de rendimento positivo em 0,96%a.m., considerando o aporte da empresa como rendimento. Valorização pífia esse mês. Desconsiderando o aporte da empresa, rendeu míseros 0,30%a.m. Sinceramente, não sei qual o problema desses “especialistas” que gerem o fundo...

A carteira atual está composta da seguinte forma:

Abaixo segue a evolução do mês:

Próximos meses os aportes deverão vir baixo, pois não sobra muito para investir nos meses “normais”, ou seja, os que não apresentam férias, 13º, etc...

7 comentários:

  1. Olá. Passando para divulgar um novo blog: http://finansferas.blogspot.com/. Criei o blog para compilar as postagens da blogosfera financeira e oferecer acesso rápido aos respectivos sites. A ideia é auxiliar e dar visibilidade aos blogs de finanças.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Nordestino! Vim conhecer seu blog!

    Assino embaixo no que você disse dos sindicalistas e das greves, também penso que se está insatisfeito com o trabalho, cabe a você procurar algo melhor. Excelentes palavras.

    Parabéns pela quebra da barreira dos R$ 500.000,00 em patrimônio!

    A título de curiosidade, notei que alguns meses o aporte foge da média, como em julho de 2016, esses valores são referente à férias, gratificações, entre outras que se acumulam?

    Quanto as suas ações, não fique aguardando elas melhorarem para reduzir o prejuízo ou fechar no zero a zero.
    Se os papéis estão ruins, realize o prejuízo e recomece do zero seus estudos e análises.

    Não sou analista e não estou dando recomendações, apenas opinando aleatoriamente.
    A ETER3 tem piorado ano a ano (e não só por causa do amianto). Fechou 2016 com prejuízo de 40 milhões e sem dinheiro em caixa, pelos números, tende a piorar mais.

    A LEVE3 caminhava devagar, no último ano que deu uma escorregada, com lucro líquido pífio, queda de receita bruta e margem de 5% apenas, quando o normal para ela seria 16%, indicando perda de competitividade e falta de resiliência durante a crise.
    Sofreu um baque grande com a redução da venda de veículos. Mas, de modo geral, ainda daria para manter esse papel, apenas deixar no "alerta" para novas análises especialmente o do 1T17 e 2T17.

    Quanto à TIET11, não sei se gosta do setor etc mas sugiro ver outras do mesmo segmento. Tem piorado os resultados, se mostrado desorganizada internamente e afastando sócios ao lançar UNIT e atrapalhando a liquidez do papel.

    No meu blog tem avaliação de algumas empresas, caso queira ver minha linha de raciocínio. Logicamente, não é para comprar os mesmos papéis que eu, mas usar de referência de como eu cheguei à conclusão de compraria ou não.

    Referente aos FII, gostaria de começar a comprar, mas não entendo nada hahaha pretendo iniciar os estudos ano que vem.

    Abraços!



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho ETER3 e LEVE3 na minha carteira, mas minha carteira se valorizou 3% neste mês. Conheço minhas limitações, por isto tenho outras 50 ações em carteira, rs. O dia que realmente entender de mercado terei no máximo 5 ações, até lá só a diversificação me salva.

      Abraço!

      Excluir
    2. Excelente observação, Uorrem.
      Quem dera ter o conhecimento que você tem!

      O maior problema dele é a exposição excessiva em poucos ativos, só a diversificação nos protege de nossa ignorância.

      Das 3 mencionadas, fico com um pé atrás da ETER3 e da TIET11, a LEVE3 eu manteria em estado de "alerta e acompanhamento dos balanços para decisão futura", pois o problema dela não é da gestão ou da empresa em si.

      Quando falei em realizar o prejuízo era no sentido de ele fazer isso e recomeçar os estudos, analisar as empresas, aumentar o leque, diversificar e aí sim voltar a comprar.

      Só giro patrimônio se o balanço não for agradável por um determinado período.

      Nos meus papéis atuais mesmo, um deles caiu mais de 10%, mas a carteira seguiu com ganho de 7% nesse mês e esse papel em queda, os balanços demonstram que a empresa está controlada, então sigo sócio.

      Abraço!

      Excluir
    3. Grande IP!

      Obrigado pela visita!

      Pois é cara, apesar de ser funcionário público, me sinto um estranho no ninho, sabe? Tanto é que estou fazendo uma nova graduação com o intuito de mudar completamente de área e empreender...

      Sobre o patrimônio, não é muita coisa, pela minha idade (33), mas já é algo! Tenho muito orgulho do que já fiz/conquistei na vida.

      Sobre os aportes, os meses de junho e julho do ano passado foram atípicos: o primeiro foi uma rescisão trabalhista da noiva. O segundo mês foi a venda de um dos nossos carros, preferimos ficar com um único automóvel por enquanto!

      Normalmente, como somos empregados e nossos salários são fixos, conseguimos, nos meses normais, aportar uns 4mil reais. Os meses em que aportamos mais é por causa de férias ou 13º!

      Minha maior preocupação hoje em dia é justamente com os aportes. Me sinto muito frustrado por não conseguir gerar renda, sabe? Minha capacidade de gerar riqueza é muito limitada... Quando mais novo, imaginava que com essa idade estaria BEM melhor.

      Sobre as ações, comecei investindo sem estudo algum e não deu certo. O problema é que, como falei anteriormente, estou fazendo uma nova graduação e o, acredite ou não, meu trabalho consome muito do meu tempo e intelecto, então acaba sendo coisa demais para aprender/estudar...

      De toda forma, vou ter que tirar um tempo para começar a estudar e entrar na renda variável. Obrigado pelas dicas!!

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir